Um Livro no qual a Justiça não é justa

O melhor presente que alguém pode me dar é sempre um livro. Em meu aniversário deste ano, o professor Ramildo Miguel, meu amigo e colega, me presenteou com um autor baiano que me agradou bastante: Itamar Vieira Junior, autor do romance “Torto Arado”. Em uma linguagem enxuta, sem perder o lirismo, Itamar Vieira descreve a vida no sertão do ponto de vista de mulheres negras que trabalham na terra, arando filhos, construindo casa e escola e agriculturando um dia a dia pós Lei Áurea. Fazendeiros ricos e brancos impondo suas vontades sobre negros trabalhadores rurais perfazem o pano de fundo de um romance no qual a descoberta da própria identidade nasce com o saber do sangue que pinga no arado. Ler “Torto Arado” é alimentar a indignação de perceber-se parte de um mundo onde a Justiça nem sempre é justa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: