“Em Ritmo de Fuga” (“Baby Driver”) é um filme pra ser visto com os ouvidos

Baby Driver: Ansel Elgort, Kevin Spacey, Lily James, Jon Bernthal, Jon  Hamm, Jamie Foxx, Eiza González, Flea, Sky Ferreira, Lanny Joon, Edgar  Wright, Tim Bevan, Eric Fellner, Nira Park, Bambino Films UK

O filme “Em Ritmo de Fuga” (no original “Baby Driver”), que estreou há poucos dias na Netflix,  é um ballet com belas coreografias que casam uma gostosa trilha sonora (jazz, rock, blues, pop) com cenas de tensão e lirismo. Algumas são memoráveis, como o início do filme, com um belo plano-sequência, no qual o jovem ator Ansel Elgort dança com a urbana paisagem da cidade de Atlanta. Ao lado dos oscarizados Kevin Spacey e Jamie Foxx, além da bela Lily James, Elgort anda, dirige, se apaixona e comete alguns deslizes morais – (co)movendo-se pelas batidas sonoras. Tiros são sincronizados com as batidas na bateria de um rock ou com o motor de uma máquina de lavar; as letras de uma música ditam os passos e as falas do ator: trata-se de um musical altamente criativo e com uma linguagem inovadora. Em tempos de quarentena, “Em Ritmo de Fuga” é uma fuga da pandemia em ritmo de arte em alto nível. Se ainda não viu, sugiro que você vá dançar agora mesmo esta fuga.

Publicado por Anderson Borges Costa

Anderson Borges Costa, brasileiro, é autor dos romances “Rua Direita” (Chiado, 2013), “Avenida Paulista, 22″ (Giostri, 2019) e do livro de contos “O Livro que não Escrevi” (Giostri, 2016 – do qual, um dos contos foi traduzido para o inglês no Canadá), além das peças teatrais “Quarto Feito de Cinzas” (traduzida para o italiano para ser apresentada na Itália), “Elevador para o Paraíso” e “Três por Quarto”. Premiado no Prêmio Guarulhos de Literatura (categorias Livro do Ano e Escritor do Ano) e no Concurso Literário do Instituto Federal São Paulo. É coordenador do Departamento de Português da escola internacional Saint Nicholas, em São Paulo, onde também atua como professor de Português e de Literatura Brasileira. É professor de Inglês no curso Cel Lep. Formado e pós-graduado pela Universidade de São Paulo em Letras (Português, Inglês e Alemão), é crítico literário e resenhista de livros para várias revistas de arte e literatura, como a “Germina”, onde assina a coluna “Adrenalina nas Entrelinhas”. É paulistano e nasceu em 29 de janeiro de 1965. Participou do último filme da diretora Anna Muylaert, “Mãe só há uma”, fazendo uma figuração como o professor de literatura do protagonista.

2 comentários em ““Em Ritmo de Fuga” (“Baby Driver”) é um filme pra ser visto com os ouvidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: