Um romance que provoca uma crise de crescimento/A novel that provokes a growth crisis

O substantivo “crise”, do grego, significa mudança súbita, difícil momento de tomada de decisão. Crianças e adultos, nós vivemos em permanente crise, pois somos chacoalhados com repentinas mudanças de rumo, nem sempre confortáveis. É sobre as mudanças, as perdas, os amores e o amadurecimento provocados por crises o singelo romance “Aos 7 e aos 40”,  de João Anzanello Carrascoza, narrado pelo mesmo personagem quando criança e, depois, já adulto. Leitura leve, rápida e comovente.

Escrito em capítulos que alternam o ponto de vista do garoto aos sete anos (em primeira pessoa) e adulto aos 40 anos (em terceira pessoa), “Aos 7 e aos 40” traz uma linguagem muito bem trabalhada, em prosa poética, que traduz o olhar infantil para os dilemas do garoto e que traduz o olhar maduro para os dilemas de um quarentão. Ler este romance é uma maneira de dialogarmos com as crises cotidianas que provocamos no nosso crescimento diário.

English – The noun “crisis”, from the Greek, means sudden change, a difficult moment of decision making. Children and adults, we live in a permanent crisis, as we are shaken by sudden changes of direction, which are not always comfortable. The simple novel “At 7 years old and at 40”, by João Anzanello Carrascoza, narrated by the same character as a child and then as an adult, is about the change, loss, love and maturation caused by crises. Light, fast and moving reading.

Written in chapters that alternate the point of view of a boy at age seven (in the first person) and an adult at age 40 (in the third person), “At 7 years old and at 40” brings a very well-crafted language, in poetic prose, which translates the childish look at the boy’s dilemmas, which translates the mature look into the dilemmas of a forty-year-old. Reading this novel is a way of dialoguing with the daily crises that we provoke in our daily growth.

Publicado por Anderson Borges Costa

Anderson Borges Costa, brasileiro, é autor dos romances “Rua Direita” (Chiado, 2013), “Avenida Paulista, 22″ (Giostri, 2019) e do livro de contos “O Livro que não Escrevi” (Giostri, 2016 – do qual, um dos contos foi traduzido para o inglês no Canadá), além das peças teatrais “Quarto Feito de Cinzas” (traduzida para o italiano para ser apresentada na Itália), “Elevador para o Paraíso” e “Três por Quarto”. Premiado no Prêmio Guarulhos de Literatura (categorias Livro do Ano e Escritor do Ano) e no Concurso Literário do Instituto Federal São Paulo. É coordenador do Departamento de Português da escola internacional Saint Nicholas, em São Paulo, onde também atua como professor de Português e de Literatura Brasileira. É professor de Inglês no curso Cel Lep. Formado e pós-graduado pela Universidade de São Paulo em Letras (Português, Inglês e Alemão), é crítico literário e resenhista de livros para várias revistas de arte e literatura, como a “Germina”, onde assina a coluna “Adrenalina nas Entrelinhas”. É paulistano e nasceu em 29 de janeiro de 1965. Participou do último filme da diretora Anna Muylaert, “Mãe só há uma”, fazendo uma figuração como o professor de literatura do protagonista.

3 comentários em “Um romance que provoca uma crise de crescimento/A novel that provokes a growth crisis

Deixe uma resposta para Anderson Borges Costa Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: