Um filme que vacina contra o preconceito/A movie which is a vaccine against prejudice

Ma Rainey's Black Bottom (2020) - IMDb

O ano novo começa agora, e 2021 nos traz a pergunta: algo mudará? O recém-lançado filme na Netflix “A Voz Suprema do Blues” (no original “Ma Rainey´s Black Bottom”) sugere que há muito o que fazer, especialmente na questão do preconceito racial e na forma desigual como brancos e negros somos vistos. Foi o último filme de Chadwick Boseman (o Pantera Negra), que filmou em meio a sessões de quimioterapia. Ele e Viola Davis estão muito bem no filme; se não viu, fica aqui uma dica. Dizem que o filme vai receber uma penca de indicações ao Oscar (incluindo melhor ator e melhor atriz). A história se passa em 1927 e fala sobre a cantora de blues Ma Rainey, que tinha um gênio forte e era autora de suas músicas. Fala também sobre a briga dela com o produtor, que quer que ela grave versões mais “brancas” para suas canções. E fala também do trompetista no papel desempenhado por Boseman, com diálogos fortes e um drama intenso que ele vive como negro.

Ano novo, dilemas velhos. Que 2021 nos traga vacinas com anticorpos para diversos vírus, como o racismo e o preconceito. “A Voz Suprema do Blues” é uma vacina altamente recomendada.

English The new year starts now, and 2021 asks this question: will something change? The recently released Netflix movie “Ma Rainey´s Black Bottom” suggests that there is a lot to be done, especially on the issue of racial prejudice and the uneven way in which whites and blacks are viewed . It was Chadwick Boseman (the Black Panther)´s last movie, which he shot in the midst of chemotherapy sessions. He and Viola Davis are very well in the film; if you haven’t seen it, here’s a tip. They say the film will receive a handful of Oscar nominations (including best actor and best actress). The movie is set in 1927 and is about the blues singer Ma Rainey, who had a strong genius and was the author of her songs. It is also about her fight with the producer, who wants her to record more “white” versions for her songs. And it is also about the trumpeter in the role played by Boseman, with strong dialogues and an intense drama that he lives as a black man.

New year, old dilemmas. May 2021 bring vaccines with antibodies to various viruses, such as racism and prejudice. “Ma Rainey´s Black Bottom” is a highly recommended vaccine.

Publicado por Anderson Borges Costa

Anderson Borges Costa, brasileiro, é autor dos romances “Rua Direita” (Chiado, 2013), “Avenida Paulista, 22″ (Giostri, 2019) e do livro de contos “O Livro que não Escrevi” (Giostri, 2016 – do qual, um dos contos foi traduzido para o inglês no Canadá), além das peças teatrais “Quarto Feito de Cinzas” (traduzida para o italiano para ser apresentada na Itália), “Elevador para o Paraíso” e “Três por Quarto”. Premiado no Prêmio Guarulhos de Literatura (categorias Livro do Ano e Escritor do Ano) e no Concurso Literário do Instituto Federal São Paulo. É coordenador do Departamento de Português da escola internacional Saint Nicholas, em São Paulo, onde também atua como professor de Português e de Literatura Brasileira. É professor de Inglês no curso Cel Lep. Formado e pós-graduado pela Universidade de São Paulo em Letras (Português, Inglês e Alemão), é crítico literário e resenhista de livros para várias revistas de arte e literatura, como a “Germina”, onde assina a coluna “Adrenalina nas Entrelinhas”. É paulistano e nasceu em 29 de janeiro de 1965. Participou do último filme da diretora Anna Muylaert, “Mãe só há uma”, fazendo uma figuração como o professor de literatura do protagonista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: