“Minari” é uma sequência de clichês que não empolgam/”Minari” is a sequence of tedious clichés

Minari - Em Busca da Felicidade - Filme 2020 - AdoroCinema

“Minari” é um filme com muitas indicações ao Oscar este ano: Melhor Filme, Diretor,  Ator, Atriz Coadjuvante, Roteiro Original e Trilha Sonora Original. “Minari” é a história de uma família de imigrantes sul-coreanos tentando ganhar a vida nos EUA, no Arkansas nos anos 1980, vivendo em casas com poucos recursos e com pais que tentam mostrar aos filhos que, embora imigrantes, são capazes de obter sucesso na terra onde há oportunidade para todos. Vi o filme e não vi nada demais; um roteiro clichê, uma história pouco original e atuações pouco empolgantes, com exceção do simpático garotinho Alan S. Kim Breaks, que rouba várias cenas, mas que não recebeu nenhuma indicação no Oscar. Se é para ver filmes indicados ao Oscar, há outros muito melhores. 

English – “Minari” is a film with many Oscar nominations this year: Best Film, Director, Actor, Supporting Actress, Original Screenplay and Original Soundtrack. “Minari” is the story of a family of South Korean immigrants trying to make a living in the USA, in Arkansas in the 1980s, living in low-income homes and with parents trying to show their children that, in spite of being immigrants, they are able to obtain success in the land where there is opportunity for everyone. I saw the movie and nothing positive in it stood out: a cliché script, an unoriginal story and uninspiring performances, with the exception of the cute little boy Alan S. Kim Breaks, who steals several scenes, but who received no Oscar nomination. If you are willing to watch Oscar nominated films, there are much better ones.

Publicado por Anderson Borges Costa

Anderson Borges Costa, brasileiro, é autor dos romances “Rua Direita” (Chiado, 2013), “Avenida Paulista, 22″ (Giostri, 2019) e do livro de contos “O Livro que não Escrevi” (Giostri, 2016 – do qual, um dos contos foi traduzido para o inglês no Canadá), além das peças teatrais “Quarto Feito de Cinzas” (traduzida para o italiano para ser apresentada na Itália), “Elevador para o Paraíso” e “Três por Quarto”. Premiado no Prêmio Guarulhos de Literatura (categorias Livro do Ano e Escritor do Ano) e no Concurso Literário do Instituto Federal São Paulo. É coordenador do Departamento de Português da escola internacional Saint Nicholas, em São Paulo, onde também atua como professor de Português e de Literatura Brasileira. É professor de Inglês no curso Cel Lep. Formado e pós-graduado pela Universidade de São Paulo em Letras (Português, Inglês e Alemão), é crítico literário e resenhista de livros para várias revistas de arte e literatura, como a “Germina”, onde assina a coluna “Adrenalina nas Entrelinhas”. É paulistano e nasceu em 29 de janeiro de 1965. Participou do último filme da diretora Anna Muylaert, “Mãe só há uma”, fazendo uma figuração como o professor de literatura do protagonista.

2 comentários em ““Minari” é uma sequência de clichês que não empolgam/”Minari” is a sequence of tedious clichés

Deixe uma resposta para M J Dees Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: