O Peso de um Livro/The Weight of a Book

O Brasil tem um dos sistemas prisionais mais precários e mais populosos do mundo. As condições em que os presos aqui se encontram são, muitas vezes, medievais. E pouco, ou quase nada, contribuem para que o apenado se ressocialize. A sociedade, livre do lado de fora das grades, por sua vez, perpetua o confinamento dosContinuar lendo “O Peso de um Livro/The Weight of a Book”

O Rio de Janeiro ganhou uma biografia/Rio de Janeiro receives a biography

O Rio de Janeiro continua lindo. O Rio de Janeiro é uma escultura da natureza, que acaba de ser biografado em sua juventude. O jornalista Ruy Castro, em seu mais recente lançamento, “Metrópole à beira-mar – O Rio Moderno dos anos 20” (Companhia das Letras), descreve com detalhes a cultura, os costumes e um poucoContinuar lendo “O Rio de Janeiro ganhou uma biografia/Rio de Janeiro receives a biography”

Ocupar é preciso/Occupying is precise

Acabo de ler o mais recente romance do brasileiro, filho de argentinos, Julián Fuks, “A Ocupação”. Ocupar a mente é brincar de esconde-esconde com o ócio. Ocupar a casa pode ser colocar filhos para habitá-la. Ocupar a sociedade pode ser participar, nas ruas, de protestos a favor de mais democracia, mais educação, mais habitação. OContinuar lendo “Ocupar é preciso/Occupying is precise”

Um poeta que (en)cantou o mundo/A poet who (en)chanted the world

Estava mais angustiado que o goleiro na hora do gol. Assim me senti ao terminar de ler agora a biografia do cantor e compositor Belchior, “Apenas um rapaz latino-americano”, escrita pelo jornalista Jotabê Medeiros. Belchior foi, mais do que cantor, mais do que músico, mais do que pintor, um poeta, que musicou angústias, amores eContinuar lendo “Um poeta que (en)cantou o mundo/A poet who (en)chanted the world”

Um belo romance indiano/A beautiful Indian novel

Há um ano estive na Índia e, de todas as viagens que fiz aos cinco continentes, com certeza, esta foi a experiência em que me senti mais longe do Brasil. Apesar de, como o Brasil, ser um país ricamente pobre, a Índia se apresenta ao mundo com uma aquarela de cores bem distintas de nós.Continuar lendo “Um belo romance indiano/A beautiful Indian novel”

Um poema meu na “Revista Conexão Literatura”/My poem published in Magazine “Conexão Literatura”

Foi publicado hoje na edição de janeiro de 2020 o meu poema “A Tua Mais Completa Tradução”, no qual eu brinco com as palavras em inglês e português a fim de sugerir as ideias de ação, formação, informação e transformação. Se quiser ler o poema, clique no link (espero que curta): In today´s issue ofContinuar lendo “Um poema meu na “Revista Conexão Literatura”/My poem published in Magazine “Conexão Literatura””

“Roda Viva” é digestão cerebral/”Life Goes On” is digestion for the brain

Ir ao teatro Oficina, em São Paulo, assistir a uma peça dirigida por Zé Celso Martinez Corrêa é um ritual único e desafiador. Afinal, quem se dispõe a esperar em uma fila para comprar ingresso (e correr o risco de voltar pra casa de mãos vazias) para ver uma peça de 5 ou 6 horasContinuar lendo ““Roda Viva” é digestão cerebral/”Life Goes On” is digestion for the brain”

“Perdidos no Espaço” 50 anos depois/”Lost in Space” 50 years later

A minha infância e a minha adolescência foram marcadas pela televisão. Estou falando dos anos 70. E a televisão foi muito importante na minha formação intelectual. Foi ela que me apresentou, por exemplo, o universo do Monteiro Lobato. A minha imaginação foi também muito alimentada por séries de ficção americanas, como “O Túnel do Tempo”,Continuar lendo ““Perdidos no Espaço” 50 anos depois/”Lost in Space” 50 years later”

Clarice Lispector faz 100 anos/100 years of Clarice Lispector

Um dos motivos pelos quais eu sou escritor atende pelo nome de Clarice Lispector. A primeira vez que li um romance escrito por esta ucraniana, que acidentalmente virou brasileira, eu fiquei “chapado” e quase aprendi a escrever. E até hoje, quando escrevo, escuto o eco de Clarice no fundo das minhas palavras. Como ela nasceuContinuar lendo “Clarice Lispector faz 100 anos/100 years of Clarice Lispector”

Peça”Brincando com o Fogo”/Play “Playing with Fire”

Uma das principais companhias teatrais de São Paulo (o Grupo Tapa) encenando um dos mais renomados dramaturgos do século XIX (o sueco August Strindberg) só poderia resultar em uma bela produção nos palcos brasileiros, certo? Só que não. Fui ontem ver a estreia da peça “Brincando com o Fogo” no Teatro Aliança Francesa em SãoContinuar lendo “Peça”Brincando com o Fogo”/Play “Playing with Fire””